k1veiculos@hotmail.com

ampliar

O Rio de Janeiro é o primeiro estado no Brasil a disponibilizar as placas padrão do Mercosul, unificando para o modelo já utilizado na Argentina e no Uruguai, o que facilitará a circulação e ampliará a segurança.  A novidade foi oficializada nesta terça-feira (11), na capital fluminense, durante cerimônia com a presença do ministro das Cidades, Alexandre Baldy e do governador Luiz Fernando Pezão. 

Todos os Detrans do país estão em processo de homologação para introdução do novo modelo de placa desde 1º de agosto de 2018. À medida que forem homologando e integrando-se ao novo sistema, poderão operar. 

Segundo o ministro Alexandre Baldy, a medida tem o principal objetivo de contribuir com a segurança pública. "Esperamos que essa nova tecnologia da placa possa encerrar, definitivamente, as fraudes e clonagens de veículos. Será um grande avanço para as polícias, que terão meios mais eficientes para o rastreamento. E conseguimos, aqui no Rio de Janeiro, implementar isso tudo e oferecer a nova placa pelo mesmo preço da atual", destacou. 

O governador Luiz Fernando Pezão falou da importância da tecnologia no combate à criminalidade. "Não é simplesmente uma placa, é um conceito, que a médio e longo prazo, vai impactar diretamente na segurança pública no estado", afirmou.

O diretor do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), Maurício Alves, lembrou que a implementação da nova placa já era pauta há anos. "Desde 2011 o Brasil assumiu esse  compromisso da mudança. Foi necessária a união de todo o Sistema Nacional de Trânsito (SNT) para que isso fosse possível. Fizemos um grande empenho para que não custasse mais caro aos cidadãos", explicou.

Novo modelo

Todas as placas irão com QRCode e há previsão, também, de se adotar chip. A troca não será obrigatória para todos os veículos. Quem quiser trocar a placa voluntariamente ou realizar operações que envolverem novas placas já receberá o modelo Mercosul. As operações são: emplacamento de carros zero quilômetro, transferências de propriedade, de jurisdição e de município, além de alteração de categoria de direção. 

Segundo informações dos órgãos que atualmente credenciam as empresas fabricantes/estampadoras, não há um tabelamento nos preços das placas veiculares, e o próprio mercado que regula os valores por meio da livre concorrência. No estado do Rio de Janeiro, por exemplo, a nova placa terá o mesmo preço da placa antiga.

Além do QR Code, outro item de segurança da nova placa é a marca d´água com o nome do país e do Mercosul, que evita a falsificação e praticamente impossibilita a clonagem, e estará grafada na diagonal ao longo das placas. No Brasil, a placa terá uma tira holográfica do lado esquerdo e um código bidimensional que conterá a identificação do fabricante, a data de fabricação e o número serial da placa. 

O modelo segue o padrão definido para o Mercosul. Ocorre que o país tem uma particularidade que os demais países partes do bloco comercial não têm:  a frota registrada é de 97 milhões de veículos, que corresponde a mais de 80% de todos os veículos do Bloco. Somos divididos em UF e municípios.